A meningite é um problema extremamente comum. A doença é caracterizada por uma inflamação das meninges, que são membranas que envolvem o cérebro. Por isso, alguns dos seus sintomas podem ser dor de cabeça, febre, e rigidez na nuca. Essas características fazem com que muitas vezes seja confundida com a gripe, fazendo com que o tratamento seja um pouco retardado. É importante então fazer o diagnóstico mais cedo possível, e para isso, é preciso conhecer os seus tipos.

Os tipos mais comuns

Apesar de ter diversos tipos, os sintomas são bastante parecidos entre todos eles. A principal diferença está na velocidade com a qual o quadro evolui, e a possibilidade de disseminação pela população.

A meningite viral é uma das mais comuns e pode ser causada por uma grande quantidade de vírus. Normalmente, sua evolução é mais rápida, podem costuma não apresentar grandes complicações, a não ser em pacientes com o sistema imunológico comprometido. O tratamento, geralmente, é feito apenas através do controle dos sintomas.

Por outro lado, a meningite bacteriana é um mais grave, e pode até levar à morte se não for tratada com rapidez. Seu perigo é ainda mais agravado, pois pode ser transmitida pela via respiratória. Já o tratamento, é feito através de antibióticos.

Os tipos mais específicos

Apesar de estes serem os tipos mais comuns, existem ainda outras formas mais específicas de contrair a meningite.

A doença causada por fungos, geralmente ocorre em pacientes que têm o sistema imunológico muito prejudicado, por conta de AIDS ou algum outro tipo de tratamento. Essa doença pode ser perigosa, ocorrendo de maneira crônica e ainda tendo um diagnóstico um pouco mais difícil.

Felizmente, ela não pode ser transmitida de pessoa a pessoa e o tratamento é feito através de antifúngico.

Outros tipos mais específicos de meningites são:

Medicamentosa: causada por algum medicamento ou certas doenças
Carcinomatosa: causada por câncer
Inflamatória: causada por alguma doença inflamatória

Como prevenir a meningite?

A prevenção da meningite parte principalmente por conta da sua origem. As causas mais comuns, geralmente as bactérias e os vírus, caracterizam uma doença que é facilmente transmitida entre duas pessoas.

O contato é uma das formas mais fáceis de transmissão, assim como o beijo e o compartilhamento de itens pessoais. A tosse e o espirro também são formas de contágio. Por isso, evitar o contato é a melhor forma de evitar contrair a doença.

Existem também alguns cuidados gerais que podem ajudar a prevenir contra a meningite, por exemplo, manter sempre as mãos limpas e cobrir o rosto em casos de tosse ou espirros.

As vacinas também são uma ótima forma de prevenção. Infelizmente, não existem vacinas contra todos os tipos, mas as mais comuns possuem vacinação e são aplicadas em bebês. Para crianças mais velhas, a vacina é recomendada apenas em casos de surto.

A meningite é um problema sério que pode ser contagioso e, ao mesmo tempo, facilmente confundido com a gripe. Especialmente os tipos mais graves, podem levar até mesmo a morte e precisam ser diagnosticados o mais rapidamente possível.

Para estar sempre atento a esse e a qualquer outro problema, confira no site da Neuromaster tudo sobre nossas especialidades.